quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Alerta: Andador para bebês causa mais acidentes do que benefícios

Posted by   on

O produto é proibido ou tem uso restrito em alguns países, e no Brasil, já houve uma decisão judicial que impedia a comercialização. Os andadores, que em sua maioria são uma mistura de brinquedo e apoio para mobilidade, representam uma das maiores causas de acidentes com bebês de 6 a 15 meses, e são comercializados sem informações sobre os perigos ou desvantagens do uso. Os modelos que representam maior risco são encontrados facilmente em lojas de variedades com preços entre R$ 104,00 e R$ 410,00, mas existem modelos mais baratos, custando em torno de R$ 85,00. Alguns fabricantes afirmam que seus produtos possuem sistema antiquedas, mas sem informações adicionais do funcionamento.


Com visual atrativo e colorido, em muitos casos, a escolha do modelo se dá mais pela estética do que pela funcionalidade, o que acaba resultando na compra de produtos frágeis, que se quebram durante o uso. Algumas marcas são campeãs de denúncias no site Reclame Aqui: a maioria dos relatos são referentes à durabilidade e acidentes com rodinhas ou componentes que se soltaram, causando ferimentos e quedas. Os acidentes podem até levar à morte, devido a traumatismo craniano, ou causar sequelas para o resto da vida, como alerta a neurocirurgiã Paula Annunciato Fabris: "já operei crianças que caíram com andador, a maioria das crianças atendidas caiu da escada, já vi bebê que caiu da laje. Teve caso de criança que caiu, com andador, na piscina e morreu. Não raramente, a criança, com o andador, bate num móvel e um objeto cái sobre a criança."
 

Entre as principais desvantagens do uso, a Dra. Paula cita: "o andador atrasa o desenvolvimento da marcha: o cérebro entende que, se algo está facilitando a criança andar, ele não precisa desenvolver mecanismos pra andar por si só; há muitos riscos de acidentes!!!!! Bebês não têm noção adequada de espaço, altura, etc., já operei vários bebês que caíram, com andador, na escada. A criança não sabe que aquilo é perigoso!". Ela afirma que há casos em que o uso é necessário, mas com supervisão médica: "claro, tem criança que tem déficits neurológicos e ortopédicos e podem precisar de andador. Mas é um andador de estrutura bem diferente dos que vendem em loja. E tem indicação específica."

Existem Normas da ABNT visando estabelecer requisitos de segurança, porém ao visualizar o documento, é possível atestar que todas as marcas analisadas foram reprovadas no quesito prevenção de quedas. Os fabricantes se defendem dizendo que não há regulamentação técnica específica para o produto no país. Alguns afirmam em comunicados de imprensa que "todo equipamento de uso infantil pode trazer riscos caso seja mal utilizado, não apenas os andadores, e que crianças que engatinham estão sujeitas a muitos dos riscos atribuídos aos equipamentos, como alcançar substâncias tóxicas, sofrer quedas, cair em piscinas, etc."

No site da Sociedade Brasileira de Pediatria é possível encontrar maiores informações sobre o assunto.

Nenhum comentário:
Escreva comentários

O que você tem a dizer sobre isso??

Estamos no Twitter, é só seguir - http://twitter.com
Receba nossa Newsletter