quarta-feira, 12 de abril de 2017

Pernambuco arrecada 200% a mais de IPTU devido a uso de drones

Posted by   on

Devido a dificuldade das Prefeituras em acompanhar de perto os projetos junto à sociedade, principalmente a arrecadação coerente proporcional ao tamanho do terreno (IPTU) e os vencimentos das parcelas, alguns órgãos já resolveram delegar a função para outras empresas, o que acabaou resultando em soluções tecnológicas inovadoras, como no caso da Crescite, empresa especializada em recadastramento de imóveis e arrecadação, que tem utilizado drones para a medição correta dos terrenos e realiza trabalhos de esclarecimento sobre os impostos.


Os colaboradores da Crescite vão até terrenos, casas, e pontos comerciais para orientar os proprietários sobre a importância de pagar em dia o tributo e esclarecem que o destino desse recolhimento vai para a melhoria de todos. Além disso, também é feito todo o recadastramento dos terrenos, como em Pernambuco: além da utilização de análise de dados, colaboradores e medição de terreno, a empresa incluiu drones para monitorar a região e fazer o mapeamento correto. As imagens são tratadas por softwares de última geração que permite a medição exata, o que resultou no aumento de 200% na arrecadação. “ Nós desmistificamos a ideia de que pagar imposto é ruim. A população só acha isso ruim quando não entende para onde vai os benefícios desse dinheiro despendido. E o valor volta para a sociedade em forma de educação, saúde e qualidade de vida”, esclarece o Diretor da Crescite, Paulo Resende.


Cada prefeitura prioriza em que vai aplicar o valor arrecadado com o IPTU. Os valores podem ir para obras de infraestrutura, gerando emprego local, a saneamento, saúde e educação, portanto, o trabalho é convertido em melhorias para a própria cidade. Alguns Municípios conseguiram aumentar a arrecadação com o sistema, como Paulista que arrecadou 165% a mais do que ano passado de IPTU, seguido por Itamaracá (82%) e Jabotão dos Guararapes ( 64%).

A Crescite atua em locais que têm mais de 100 milhões de ‘estoque de débitos’. Só são remunerados em razão do que é produzido financeiramente e na atualização dos cadastros municipais, funcionando como investidores, e ao mesmo tempo, agregadores de tecnologia para os Municípios.



Fonte: Press Release

Nenhum comentário:
Escreva comentários

O que você tem a dizer sobre isso??

Estamos no Twitter, é só seguir - http://twitter.com
Receba nossa Newsletter