domingo, 10 de maio de 2015

E-Games RedeTV tem estréia entre acertos e derrapadas

Posted by   on


Apesar do tema ser um tanto negligenciado na TV aberta atualmente, programas de games tem uma presença significativa na história da televisão brasileira. A ausência sentida pelos fãs, principalmente saudosistas, tem sido timidamente preenchida: Recentemente a Globo tentou uma iniciativa com Madrugames e posteriormente SBT com um quadro durante o programa Okay Pessoal; foram duas tentativas honestas, porém com horário ingrato (ambos nas madrugadas). O sonho de um tempo de duração digno, o assunto videogame como tema central e um horário em que estivéssemos acordados persistia, até que surge E-Games, pela RedeTV!


A proposta é audaciosa: um programa com meia hora de duração, aos sábados, às 18h30min, ao vivo. Com cenário virtual, presença de figuras conhecidas na Internet e interatividade por diversos canais ao mesmo tempo, o "gancho" principal foi o e-sport, com uma competição em tempo real, que também poderia ser acompanhada na web. Foram apresentadas matérias, tanto gravada em externa (interessante a visita na sede de uma equipe de e-sport), quanto resenhas (como a sobre filmes baseados em jogos), além de um quadro que tentou ser divertido, mas acabou sendo constrangedor ao tentar mostrar a confecção de um prato culinário por um grupo humorístico.

Nos primeiros 10 minutos, o programa me conquistou, de verdade, talvez pelo timming entre as novidades e as matérias. Começou a derrapar quando tentou exagerar na interatividade, dar espaço para o DJ mostrar um som (nada contra o DJ, mas ficou meio sem sentido) e uma possível falta de entrosamento em meio aos inúmeros acontecimentos paralelos. Ficou em ritmo de navegação na web de usuário super ocupado (ou seja, várias janelas abertas sem poder dar atenção a todas ao mesmo tempo), que é o principal desafio da fusão entre a comunicação via Internet e televisão: por esta última ser um meio mais passivo, carece de uma sequência mais consistente para manter a audiência. Pode ter sido falha na condução pela apresentadora principal (Claudia Carla, que já possui experiência em programas de games), mas também pode ter sido causado pelo formato ao vivo. 

O cenário virtual também pareceu escuro demais e não muito moderno para o tema (lembrei do Tron, mas do filme antigo). Algumas pronúncias erradas (depois corrigidas) e até a roupa da apresentadora foram citados em postagens na web como derrapadas (sim, cada detalhe é importante em um programa de TV). 

Outro ponto que observamos nesta estréia, é que o fenômeno Internet foi posto a prova na TV aberta: alguns queridos da web tem visibilidade em um meio restrito, não sendo uma unanimidade entre o público. Isso vale para os youtubers, mas também para os jogos, visto que jogo online não é conhecido ou consumido por uma grande parcela dos gamers, que preferem consoles ou mesmo outros titulos, que não DOTA ou LOL. E audiência televisiva é feita de unanimidades, muito diferente da web, onde cada público monta sua configuração de preferências específicas: Posso assistir seriados japoneses por horas, ou jogar determinado título de game e procurar tudo sobre ele, me juntar a fãs, sendo que somos uma pequena parcela de público. Porém a maioria do país conhece as panicats ou a Ivete Sangalo, mesmo sem pesquisá-las na web ou acompanhar seus trabalhos, e isso só a TV pode proporcionar no momento. Contar com a audiência web para um programa de TV é um grande desafio, até devido a flexibilidade de horário que a Internet proporciona, e que desanima ao público ter que desligar o computador para ligar o televisor em um horário pré-determinado. 

Unir audiências tão distintas como o público gamer atual e juntá-las na frente da TV em um único horário é o maior desafio do programa, além de ter a missão de transformar em cultura de massa uma mídia elitizada como sempre foi o videogame. E se conseguir ultrapassar em audiência pelo menos uma emissora, E-Games RedeTV terá vencido muitas barreiras e ganho muito XP. O programa por enquanto, ainda está na primeira fase.  

(foto: divulgação)

2 comentários:
Escreva comentários
  1. Valeu pela resenhar Gisele. Tu vai fazer análises em cada programa? Quer dizer, toda semana?
    Um campeonato com a batuta do programa ficaria bom, não acha?
    Até mais!
    <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie... legal q gostou!! Bem, ainda não tinha pensado nessa possibilidade de fazer análises semanais... rsrsrs
      Um campeonato seria ótimo msm, assim como acredito q o programa já seria excelente se apenas abordasse os e-sports!!
      Inté, abs! ;)

      Excluir

O que você tem a dizer sobre isso??

Estamos no Twitter, é só seguir - http://twitter.com
Receba nossa Newsletter