terça-feira, 14 de outubro de 2014

Assisti - Festa no Céu (com spoilers)

Posted by   on

Em cartaz nos cinemas de todo o Brasil, Festa no Céu (The Book of Life) é uma belíssima animação, que possui um roteiro audacioso e um tanto polêmico, em uma narrativa emocionante.
Baseado na lenda do Dia dos Mortos do folclore mexicano (com influências das culturas grega e maia), tem como trama principal o triângulo amoroso entre Manolo Sanches, Joaquim e a bela Maria. Também são abordados o universo das touradas e possui como ambientação a simpática e pequena cidade de San Angel, constantemente atacada por grupos criminosos.
Entre os diferenciais dos contos de fadas tradicionais, está o fato de que, apesar da mocinha possuir dois pretendentes, ela luta não só pela sua liberdade de escolha, mas também tenta conscientizar os moradores da cidade ante as ameaças existentes, e de certa forma, não facilita muito as coisas para o seu amado (diferente das mocinhas ditas "comuns", que geralmente se atiram nos braços do pretendente visado).
Manolo, por sua vez, também obedece o clichê do herói com aspiração artística vivendo pressão para seguir carreira contrária à vocação, com rival de qualidades supostamente "idealizadas". Ele vive uma jornada de autoconhecimento que transcende as barreiras da existência terrena, buscando apoio em seus antepassados falecidos, e vencendo karmas que os acompanhavam há séculos, usando apenas seus atributos morais, vencendo suas dificuldades interiores, o grupo de vilões que ataca a cidade, o rival que quase lhe toma a amada, e até a morte.
Por falar em morte, "La Muerte" (a rainha do "mundo dos lembrados") tem um papel fundamental na trama, pois de certa forma, manipula os acontecimentos e dita os destinos ao lado de Xibalba (o rei do "mundo dos esquecidos").  
A audácia do produtor Guilhermo del Toro e do diretor Jorge Gutierrez resultou em uma animação perfeita, de qualidade gráfica impressionante (com uma explosão de cores), 3D eficaz e trilha sonora com conhecidas músicas românticas, conseguindo cativar o público do início ao fim. Pode desagradar as pessoas que não simpatizam com os conceitos da vida após a morte, mas possui grande conteúdo simbólico, e faz uma bela homenagem a cultura mexicana. Fico feliz em saber que os roteiros infantis chegaram a um nível de tão forte conteúdo transdisciplinar, fugindo da inconsistência e da superficialidade.

Nenhum comentário:
Escreva comentários

O que você tem a dizer sobre isso??

Estamos no Twitter, é só seguir - http://twitter.com
Receba nossa Newsletter