terça-feira, 4 de outubro de 2011

Rafinha Bastos, CQC, South Park e polêmica

Posted by   on

A polêmica mais comentada na mídia atualmente é a declaração do apresentador do CQC Rafinha Bastos, que durante um dos programas ofendeu a cantora Wanessa, afirmando que "comeria ela e o bebê", como resposta a um comentário sobre a beleza da artista durante a gravidez. Rafinha é conhecido por não ter papas na língua e fazer declarações polemicas e sexistas, o que sempre acaba o deixando em maus lençóis. Desta feita, foi suspenso da apresentação do programa, e após um breve tempo na geladeira, ocorreu o desligamento definitivo.
Ao ler sobre a confusão, imediatamente lembrei de um episódio de South Park, onde o personagem pai do Stan, Randy March, ao participar de um quiz da TV, respondeu a pergunta: pessoas que te irritam, com a palavra "niggers" (crioulos) ao invés de "naggers" (chatos), sendo a partir de então rotulado em toda a sociedade como o "tal do crioulo", sofrendo bullyng e retaliações em todos os locais por onde passava, e procurando tentativas (sempre desastrosas) de retratação. Ao final do episódio, Randy uniu-se a outras celebridades que também haviam pronunciado a tal palavra, e conseguiram junto ao Congresso criar uma Lei que caracterizasse racismo chamar pessoas de "tal do crioulo".
O racismo explícito na declaração do personagem Randy é crime grave, e altamente polêmico por ser uma chaga aberta na sociedade americana, assim como a pedofilia implícita na declaração de Rafinha Bastos é um dos piores crimes para a sociedade brasileira. Tetantivas de retratação após declarações como esta, sempre terminam patéticas, e o autor acaba sendo vítima de bullyng ou preconceito, por ter de alguma forma, aprovado uma atitude reprovável (no caso de Rafinha, implicitamente disse que faria sexo com uma criança que ainda nem nasceu, talvez de forma involuntária - poderia estar se referindo ao simples fato de desejar fazer sexo com uma grávida, a interpretação ficou em aberto).
O caso ainda tem um agravante: o fato de o esposo da ofendida ser "patrão" do apresentador Marco Luque, e ter controle de alguns comerciais da emissora e do programa. Mal estar interno, que acaba por influenciar a opinião pública, e com mais um desdobramento: o afastamento de Marco Luque de um novo comercial da Claro, substituído por Marcelo Adnet, que recentemente esteve envolvido em uma polêmica semelhante, por interpretar uma piada intitulada "Casa dos Autistas" em um dos humorísticos da MTV.
Rafinha Bastos tem como apoio neste momento de crise de imagem a militância de seus fãs, que colocaram a hashtag #voltarafinha nos TTs mundiais do Twitter. O apresentador também tem demonstrado humor, ironizando a "folga" em declarações na internet. Resta apenas um discreto pedido de desculpas e um retorno digno ao sucesso, o que evitaria o patético efeito Randy March: tentar consertar uma piada e acabar piorando ainda mais a situação.

8 comentários:
Escreva comentários
  1. A agora deu pra entender, a questão não é a piada, mas com quem a piada é feita...

    ResponderExcluir
  2. Muito bom seu texto, viu Gi? Parabéns. Foda-se o mundo e viva a liberdade de expressão!

    ResponderExcluir
  3. Obrigada... bom, se o Randy no desenho foi rotulado de "tal do crioulo", será que o Rafinha vai virar o "pega neném"?????

    ResponderExcluir
  4. kkkk mto bom o texto

    ResponderExcluir
  5. Excelente texto, mas tem uma questão que vc nao abordou.
    O Rafinha ja tinha feito outras piadas ofensivas (inclusive uma sobre estupro que na minha opinião foi muito pior do que essa)e o pessoal esta sempre com aquela bandeira do "politicamente incorreto" e da tal "liberdade de expressão". Ja deu, né? Ta na hora de alguem mostrar pra ele que o que a gente fala gera consequencias. E ele se tocar que ao contrario do teatro, que vai quem quer , na Tv ele é quem invade nossos lares. E tem que nos respeitar.

    ResponderExcluir
  6. Love Girls, muito bem lembrado, mas eu não falei sobre o "curriculum" do Rafinha, porque o texto ficaria bem maior e de difícil visualização, então estava espeando o "desenrolar" dos fatos para fazer a continuação. O fato é que Sr. Bastos parece seguir uma linha agressiva em suas piadas, mesmo em simples postagens do Twitter. Outro dia, estava eu acessando o microblog, quando li um RT de Rafinha a uma fã, que postou a ele:"se o @rafinhabastos responder, eu me mato". A resposta dele? "agora, cumpra a promessa". Piadinha rápida, mas de humor negro. Como vc comenta, é coisa própria de teatro e de show de stand up, mas não deveria acontecer, nem no teatro, nem na TV, nem na Internet: É antiético. Abraço!!

    ResponderExcluir
  7. Pois é...mas a moral que o desenho passou foi outra, o combate ao excesso de "POLITICAMENTE CORRETO" que esta invadindo o continente americano e o Brasil esta entrando nessa onda abestalhada. OBS: assisti a esse episodio do desenho e esta muito claro que o pai de Stan não é racista.

    ResponderExcluir
  8. Assim como ficou claro que o Rafinha não é pedófilo, apenas admitiu que faria sexo com uma mulher grávida, as pessoas envolvidas que o compreenderam mal. O Randy respondeu a pergunta: pessoas que IRRITAM você. Ele não é racista, mas a resposta, mesmo que não intencional, foi.

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso??

Estamos no Twitter, é só seguir - http://twitter.com
Receba nossa Newsletter